27-30 septiembre 2016
AECID - Centro de formación, Centro Cultural de España y Cooperativa Bancaria
America/Montevideo timezone
Inicio > Timetable > Session details > Contribution details

Contribution Poster

Centro de Formación - Atrio
Eje III: Educación superior interdisciplinaria / Carreras y posgrados Interdisciplinarios

AÇÃO INTERDISCIPLINAR EM UMA ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE

Oradores

  • Ms. Lílian LESSA ANDRADE
  • Mrs. Tereza Cristina BRAGA FERREIRA
  • Mrs. Thaís Mara DIAS GOMES
  • Mr. Gustavo BITTENCOURT MACHADO

Autores principales

Coautores

Resumen de contenido

A educação em saúde comumente é realizada com objetivo de qualificar os profissionais em técnicas específicas, desconsiderando o diálogo e a integração dos conhecimentos de outras áreas envolvidas. No contexto contemporâneo, a interdisciplinaridade contribui para o diálogo mais amplo, na direção do que afirma Fazenda (2003) sobre a importância de um conhecimento que faça sentido para a história, a partir da vontade das pessoas discutirem além do conteúdo específico das suas disciplinas. Neste sentido, a Capacitação em Educação Permanente em Saúde do Trabalhador da Pesca Artesanal/Mariscagem para profissionais da Atenção Básica à Saúde, uma das atividades do Projeto “Prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação de LER/DORT em pescadores artesanais da Baía de Todos os Santos - Bahia” foi planejada, articulada e executada por profissionais e estudantes de diversas áreas de saúde, em parceria com o Movimento de Pescadoras e Pescadores Artesanais da Bahia e Gestores de Saúde Estaduais e Municipais. A atividade da pesca artesanal expõe essa população a diversos riscos e processos de adoecimento ainda pouco conhecidos pelos profissionais de saúde e pela Seguridade Social. Objetivo: Apresentar uma reflexão sobre a atividade interdisciplinar desenvolvida para os profissionais das Unidades Básicas de Saúde da Baía de Todos os Santos. Metodologia: A capacitação foi dividida em três momentos, cada um realizado durante um dia, com intervalo de quinze dias para a ocorrência do próximo encontro. Foi realizado em três cidades da Bahia-Brasil. Resultados: Considerando a interdisciplinaridade, a capacitação contemplou atividades teóricas e práticas com a participação de pescadores e pescadoras, e os profissionais de saúde. Construiu-se coletivamente nos espaços teóricos os saberes integrados das pescadoras e pescadores com os dos profissionais da saúde, com a confecção de painéis e discussão sobre os mesmos. Na visita ao campo de trabalho os profissionais da saúde vivenciaram o processo de trabalho, riscos de acidentes e doenças no trabalho da pescadora artesanal. O terceiro momento representou o processo de construção do fluxo de atendimento em saúde da trabalhadora da pesca artesanal na atenção básica, por muito tempo negligenciado. Identifica-se aqui o que Galeffi (2009) denomina “abertura para o esclarecimento” de todos os envolvidos, pois a integração de pessoas com realidades diversas, com o objetivo em comum direcionado pela capacitação, oportunizou a difusão e o compartilhamento de saberes, bem como a construção de novos ao longo da capacitação e a partir dela. A metodologia utilizada caminhou na proposta de Freire (2005) demonstrando uma educação problematizadora e dialógica como essência da prática para a liberdade; e, a partir das experiências dos participantes envolvidos e implicados no processo, foram construídos novos saberes significativos para o viver integrado desses atores sociais, que continuarão vivendo em lugares distintos, mas se relacionando com um novo olhar tanto do usuário, quanto dos profissionais de saúde. Conclusão: A interdisciplinaridade permitiu a construção e implementação de novas práticas de atendimento, dando visibilidade à saúde do trabalhador. Outrossim, contribuiu na articulação entre Movimento Social, Universidade e Gestores em Saúde; e para o diálogo entre os níveis de atenção à saúde, sobretudo nas questões do processo de trabalho e adoecimento em pesca artesanal/ mariscagem. A metodologia aplicada oportunizou a interação entre comunidades distintas com objetivo de construir um novo olhar a partir do diálogo, considerando cada um dos atores sociais presentes, seus conhecimentos e experiências sem valoração de intensidade e, por outro lado, valorizando ambos por sua distinção e complementação. Referências - FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: qual o sentido. São Paulo: Paulus, 2003. - FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 42.ª Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005. - GALEFFI, D. Recriação do Educar : Epistemologia do Educar Transdisciplinar. Salvador: EDUFBA, 2009.

Palabras clave

interdisciplinaridade; educação em saúde; saúde ocupacional