27-30 septiembre 2016
AECID - Centro de formación, Centro Cultural de España y Cooperativa Bancaria
America/Montevideo timezone
Inicio > Timetable > Session details > Contribution details

Contribution Presentación oral

Centro de Formación - Sala Prisma

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL E PLANEJAMENTO URBANO: ALTERNATIVAS PARA MELHORIA DA QUALIDADE DO AR

Oradores

  • Ms. Denise BITTAR
  • Ms. Renata PEREIRA
  • Dr. Samuel DE BENEDICTO
  • Dr. Regina LONGO

Autores principales

Coautores

Resumen de contenido

Atualmente, a poluição atmosférica é um dos maiores problemas ambientais existentes nos centros urbanos. A infraestrutura viária no contexto urbano, compreende passeios e vias nas cidades e pode se tornar um fator diferencial na melhora da qualidade do ar nesses locais, caso sejam aplicadas políticas públicas adequadas para aumento da arborização e diminuição da emissão de poluentes pelos veículos. O transporte coletivo urbano pode ser um grande aliado à diminuição de emissão de poluentes, caso sejam utilizadas políticas como a substituição dos combustíveis fósseis por fontes renováveis, pois, segundo Sachs (2005), esses devem ser substituídos o quanto antes. Sendo assim, o biodiesel torna-se alternativa viável ao diesel para mitigar a emissão de gases de efeito estufa como: Monóxido de Carbono (CO); Hidrocarboneto não metano (NMHC), Dióxido de Nitrogênio (NOx), Material Particulado (MP), Dióxido de Enxofre (SO²) (OLIVEIRA; SUAREZ; SANTOS, 2008). Outro ponto a ser considerado, de acordo com Nowak (2002), é que a vegetação urbana pode direta ou indiretamente afetar a qualidade do ar a nível local e regional, alterando o ambiente atmosférico urbano. Segundo o autor as quatro principais maneiras que as árvores afetam a área da qualidade do ar são: na redução de temperatura e outros efeitos do microclima, na remoção de poluentes do ar, na emissão de compostos orgânicos voláteis e nos efeitos energéticos nas construções. Neste contexto, o presente trabalho teve por objetivo abarcar a sustentabilidade, em suas dimensões política e ambiental, caracterizando práticas adotadas na infraestrutura viária em áreas urbanas, identificando práticas mais eficientes a partir da utilização de 2 cenários para a qualidade do ar no município de Campinas/SP, utilizando dados da CETESB (2016) e os níveis de poluentes emitidos pelo Transporte Coletivo Urbano ao se substituir o uso de diesel pelo biodiesel e aumento da arborização viária. Para a realização do trabalho fez-se a comparação entre dois cenários aplicáveis ao município de Campinas/SP: a) cenário 1: representando a situação atual do município, sendo que os dados referem-se ao percentual de poluentes emitidos em 2014 pelos 1254 ônibus em circulação do transporte coletivo urbano (EMDEC, 2016) em toneladas de CO, NHMC, NOx, SO² e MP; e nível de CO² emitidos em 2014 com 5,5 m²/habitante de área; b) cenário 2, representando a situação ideal, de acordo com os percentuais indicados por Oliveira, Suarez, Santos (2008) e EPA (2009) aplicando-se uma diminuição dos níveis de emissão de poluentes observados em 2014, com utilização de 100% de Biodiesel e aumento para 8 m²/habitante de área verde (SMA IBAMA, 1994). Por resultado obteve-se reduções, em toneladas, nos cenários 1 e 2 respectivamente: CO: 90,05 para 46,82; NMHC: 19,26 para 6,35; NOx: 448,01 para 403,21; MP: 12,54 para 6,64; SO²: 0,44 para 0,09; CO²eq: 1.005.958,06 para 996.597,72. Dessa forma, pode-se concluir que, a substituição do diesel pelo biodiesel no Transporte Coletivo Urbano e aumento das áreas verdes arborizadas são imprescindíveis na melhoria da qualidade do ar nas cidades tornando-as mais sustentáveis, levando o país a convergir para a Agenda 30 e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU.

Palabras clave

Poluição Atmosférica; Infraestrutura Viária; Arborização