27-30 septiembre 2016
AECID - Centro de formación, Centro Cultural de España y Cooperativa Bancaria
America/Montevideo timezone
Inicio > Timetable > Session details > Contribution details

Contribution Presentación oral

Centro Cultural de España - Aula 01
Eje V: Transdisciplina y co-producción de conocimiento

PESQUISAR NA COMPLEXIDADE: UM PROJETO TRANSDISCIPLINAR PARA CARTOGRAFAR UMA EPISTEMOLOGIA COMPLEXA

Oradores

  • Dr. Karla Rosane DO AMARAL DEMOLY
  • Dr. Nize Maria CAMPOS PELLANDA

Autores principales

Resumen de contenido

O GAIA (Grupo de Ações e Investigações Autopoiéticas) tem caráter transdisciplinar e uma dupla característica: não é somente um grupo que agrega vários projetos vinculados de pesquisa, mas é também um projeto em si no sentido que tem uma proposta de investigação sobre o processo epistemológico envolvido nos diferentes projetos. A educação escolar, de modo geral, salvo raras exceções, não trabalha com as competências do viver. A moda das competências, por lidar com habilidades que não levam às aprendizagens para a vida apenas mascaram a situação e não resolvem os problemas fundamentais da educação. As referidas pesquisas estão a nos mostrar que as práticas educativas não estão de acordo com as necessidades biológicas dos seres humanos, como também não contemplam a harmonia desses seres com tudo o que existe. O que pretendemos com esse projeto, portanto, é refletir profundamente sobre os pressupostos do MAO (Movimento de Auto-organização) e propor articulações com uma práxis educativa, seja ela em relação às crianças e jovens de todos os níveis do Ensino Fundamental e Médio, como também, com a Educação de Graduação e Pós-Graduação que seja mais efetiva em termos de uma transformação pessoal/social. Podemos incluir aí também, a questão de uma educação não formal. No fundo dessa proposta está a investigação sobre aquilo que estamos chamando de ontoepistemogênese, ou seja, um processo integrado de constituição do ser humano num trabalho de questionamento das epistemes que ainda propõem estabilizações e fragmentações, centrando em cognições focadas de modo exclusivo nas aprendizagens do tipo lógico-formais. O projeto realiza reflexões sistemáticas a partir estudos teóricos e de dados empíricos de cada projeto vinculado como contribuição à necessidade de preencher uma grande lacuna do contexto científico atual: elaborar um quadro referencial para pensar uma educação complexa apoiada nos pressupostos do MAO (Movimento de auto-organização) e, mais especificamente, na Teoria da Autopoiesis de Humberto Maturana e Francisco Varela e na teoria da “Complexificação pelo ruído” de Henri Atlan, entendendo o conhecimento como inseparável do processo de viver. Dessa forma, estaremos oferecendo aos educadores elementos para pensarem novas práticas, baseadas na cognição inventiva que se afastem daquelas voltadas para o formalismo, a recognição e a clivagem entre vida e conhecimento. Com isso, tomamos, pois a liberdade de lançar um desafio aos colegas que pesquisam nesse campo: propor o termo de ontoepistemogênese para designar esse processo de complexificação de um sujeito que, ao se acoplar com seu ambiente, transforma-se com repercussões em todas as dimensões de seu ser. (ATLAN, 1992) O eixo em torno do qual desenvolveremos essa pesquisa situa-se no entrelaçamento de alguns pressupostos fundamentais do Paradigma da Complexidade com ênfase na cibernética e, a partir daí, dirigir o foco para a teoria da Biologia do Conhecer de H. Maturana e F. Varela e para a “Teoria da complexificação pelo ruído”, de Henri Atlan. Esses cientistas construíram sua teoria na esteira do movimento cibernético e, assim, fizeram um giro epistemológico na forma de abordar a realidade e o conhecimento. Perguntamos: Como conhecemos na complexidade do vir-a-ser, ou seja, num realidade em constante fluxo e reconfigurações?

PROJETOS VINCULADOS:

  1. NÚCLEO DE EMERGÊNCIA - Educação e complexidade: a emergência do processo de ontoepistemogênese
  2. Oficinas autopoiéticas: aprendendo a viver
  3. Narrativas e cognição
  4. Na ponta dos dedos: o IPAD como instrumento complexo de cognição/subjetivação
  5. Sofrimento, educação e Saúde - Clara da Costa Oliveira e Nize Maria Campos Pellanda - Este projeto faz parte do convênio UNISC-UMINHO
  6. Rede Oficinandos na Saúde- Karla Demoly – UFERSA

Palabras clave

GAIA, complexidade, epistemologia complexa.

Grupo interdisciplinario en el que se enmarca el trabajo (si corresponde)

GAIA: Grupo de Ações e Investigações autopoiéticas