27-30 septiembre 2016
AECID - Centro de formación, Centro Cultural de España y Cooperativa Bancaria
America/Montevideo timezone
Inicio > Timetable > Session details > Contribution details

Contribution Presentación oral

Centro Cultural de España - Auditorio
Eje V: Transdisciplina y co-producción de conocimiento

REDE DE OFICINANDOS NA SAÚDE: o fazer transdisciplinar e as tecnologias promovendo saúde mental

Oradores

  • Dr. Francisco Milton MENDES NETO
  • Dr. Karla Rosane DO AMARAL DEMOLY

Autores principales

Resumen de contenido

A experiência que realizamos em Mossoró e cidades circunvizinhas do semi-árido nordestino no Brasil configura um Programa que integra atividades de pesquisa intervenção. Estas se organizam a partir de subprojetos, uma parceria entre a Universidade Federal Rural do Semi-Árido e os serviços de saúde mental, com a colaboração de outras universidades que também se dedicam ao trabalho no campo da saúde mental, das artes, da educação inclusiva e das tecnologias. O denominador comum desses projetos é a experimentação de diferentes tecnologias da informação e da comunicação no campo da saúde mental, em ambientes que atendem crianças, jovens e adultos que vivem em diferentes circunstâncias de sofrimento psíquico e/ou transtornos mentais. Os projetos são tecidos em perspectiva inter/transdisciplinar e já acontecem em um ambiente que equipamos com algumas ferramentas e materiais que favorecem o exercício de autoria e os movimentos da cognição inventiva. Distinguimos os quatro projetos que integram o programa: oficinas de jogos digitais; oficinas de fotografia e produção videográfica; oficinas de arte-sociologia-saúde mental e oficinas de capacitação dos profissionais gestores, equipes multidisciplinares para integração de tecnologias digitais em suas atividades nos ambientes de saúde mental e para produzir transformações e melhorias em seus processos de trabalho. O programa se intitula REDE DE OFICINANDOS NA SAÚDE: o encontro com as tecnologias da informação e da comunicação promovendo cuidado e formação em saúde mental envolve ações continuadas de pesquisa intervenção junto a crianças, jovens e adultos atendidos, familiares nos CAPS - Centro de Atenção Psicossocial de Mossoró e cidades circunvizinhas da região - e ainda os profissionais das equipes multidisciplinares das instituições. A metodologia que utilizamos é de natureza qualitativa, compreendendo nos diferentes projetos: a pesquisa intervenção, pistas do método cartográfico; desenvolvimento, aplicação e validação de tecnologias e o emprego de autonarrativas para acompanharmos os acontecimentos no percurso de realização dos trabalhos. O contexto de realização das pesquisas As comunidades atendidas envolve profissionais, crianças, jovens e adultos que integram os serviços de atendimento em saúde mental nos CAPS, Gestores e Trabalhadores da rede pública de saúde mental que integram as equipes multidisciplinares dos CAPS e escolas que se propõem a projetos de inclusão social em oficinas de capacitação para emprego de tecnologias no atendimento e nos processos de trabalho. O quadro teórico que subsidia nossa análise considera os estudos da Biologia da Cognição de Humberto Maturana e Francisco Varela (2001) e a obra de Nise da Silveira . Trazemos ainda uma rede tecida sobre o emprego de oficinas em pesquisa, pois estes se ampliam no campo da saúde mental, incluindo sujeitos que vivem em circunstâncias de sofrimento psíquico. Demoly e Pellanda (2013), Demoly e Mendes (2013), Monte, Demoly e Mendes (2013), Maraschin et al (2011). A proposta de trabalho compreende quatro projetos de pesquisa intervenção que consideram atividades de preparação, desenvolvimento e análise de oficinas: organização de materiais e criação de metodologias; acompanhamento do trabalho nos CAPS, sistematização e organização de diários de bordo e relatórios, produção de artigos e publicações, organização e realização de jornadas de estudo em saúde mental para divulgação dos resultados alcançados junto às comunidades. O programa acontece desde 2011 e apresenta como resultados: os sujeitos atendidos ampliam suas redes sociais, produzem novas formas de convivência e aprendizagem, redescobrindo suas potencialidades no exercício de autoria. Os docentes colaboradores experimentam a potência de um fazer inter/transdisciplinar na universidade. Os bolsistas estudantes de graduação e mestrado experimentam transformações no modo de relação com a diferença no social e se sensibilizam nas dimensões estética e ética, essenciais na formação acadêmica.

Palabras clave

tecnologias, saúde mental, experiência transdisciplinar.

Grupo interdisciplinario en el que se enmarca el trabajo (si corresponde)

Linguagens, Cognição e Tecnologias