27-30 septiembre 2016
AECID - Centro de formación, Centro Cultural de España y Cooperativa Bancaria
America/Montevideo timezone
Inicio > Timetable > Session details > Contribution details

Contribution Presentación oral

Centro Cultural de España - Auditorio
Eje II: Prácticas y resultados de proyectos de investigación interdisciplinarios

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS EM AEROPORTOS

Oradores

  • Ms. Rita COENTRO
  • Dr. Antonio DEMANBORO
  • Dr. Regina LONGO

Autores principales

Coautores

Resumen de contenido

Ao longo dos últimos anos, as singelas construções aeroportuárias do século XX, onde a infraestrutura se caracterizava apenas para atender passageiros e suas bagagens quando do embarque e desembarque, vem dando lugar a estruturas arrojadas com áreas operacionais confortáveis, design cada vez mais modernos, com área de lazer, praça de alimentação e serviços diversos. Acompanhando todo esse desenvolvimento, os aeroportos se utilizam cada vez mais de instrumentos de gestão capazes de garantir operacionalidade e segurança para toda a comunidade aeroportuária. O objetivo desta pesquisa é proceder uma análise da gestão dos resíduos sólidos a partir do conceito: reduzir, reutilizar e reciclar, antes da destinação final dos resíduos sólidos de aeroportos. Segundo a Federal Aviation Administration (2013), resíduos sólidos de Aeroportos são oriundos de bordo, lavatórios, restaurantes, lanchonetes, escritórios administrativos, áreas verdes (roçagem, urbanização corte de gramas), construção, dentre outros. Serão utilizados, para análise, dados do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos dos Aeroportos Brasileiros e dados do Relatório de Sustentabilidade dos Aeroportos Internacionais do Brasil, do ano de 2014. O movimento total dos aeroportos brasileiros foi de 19.500.000 passageiros. A produção de resíduos sólidos dos aeroportos internacionais brasileiros foi de 5.000 toneladas e volume de reciclagem de 22%. Para os aeroportos nacionais, a geração total de resíduos sólidos foi de 4.500 toneladas e volume de reciclagem de 9%. Foi realizado um estudo pontual das características dos resíduos em aeroportos brasileiros. Foi observado preliminarmente que em ambos os tipos de aeroportos, há distribuição adequada de ‘containers’ em locais estratégicos; a coleta é feita de forma ordenada e destinada para local de separação dos resíduos comuns, com auxílio de associação de catadores, principalmente para papeis, papelões, alumínio e plástico; e destinação especifica no caso de resíduos infectantes, pneus, lâmpadas fluorescentes e outros. O transporte é feito adequadamente, porém a grande dificuldade dos aeroportos brasileiros está na segregação na fase de geração, como ocorre com o lixo orgânico que contamina papeis e papelões. Nos escritórios, restaurantes, lanchonetes e mesmo no lixo de bordo não há separação adequada pelos usuários, ainda que existam sacos de cores diferenciadas e recipientes específicos de coleta seletiva. Isso provoca inclusive um aumento do peso especifico dos resíduos, tornando-os mais onerosos quando do destino final, uma vez que o valor pago aos aterros sanitários é por peso do resíduo gerado. Observou-se, ainda, um grande potencial de resíduos aptos a reciclagem que por não serem separados adequadamente se misturam ao lixo comum e são destinados aos aterros sanitários. Conclui-se que serão indispensáveis novas ferramentas de gestão, além de projetos de educação ambiental, promoção de reuniões, de orientações especificas com equipes da área de alimentação e outros, e campanhas de conscientização, visto que só um esforço conjunto poderá levar o país a galgar outro patamar ambiental, com vistas a tornar a atividade aeroportuária sustentável.

Palabras clave

resíduos sólidos; aeroporto; sustentabilidade